terça-feira, 31 de maio de 2022

Avaliação de Maio 22 (queda forte)

                      

Avaliação Final de Maio


Mês passado a dolarização me fez cair pouco, em reais, no que tange à rentabilidade geral. Pois bem, este mês foi a vez de a dolarização ser a principal força a me derrubar. Para piorar, minha compensação em moeda nacional foi jogada, por mim, toda no lixo fazendo market timing errado.


Lado bom de perder quase 2% do patrimônio fazendo "swing trade curto" é que ajudou a reforçar minha convicção de início do blog de que isso não é para mim. Ter 1,1 milhão parece que me subiu a cabeça e resolvi apostar de novo em coisas assim nos últimos dois meses. Como não fui muito ruim em março, continuei. Porém, chega. Dessa vez é pra nunca mais. Viverei só de calmaria a partir de agora, digamos assim. Na avaliação do mês passado eu já estava dizendo que devia me "aposentar" disso. Agora tenho certeza.


Eu já esperava possíveis grandes oscilações do dólar. Voltamos ao 4,73. Uns dois centavos a menos que meu "dólar médio" por sinal. Minha parte "internacional" diminuiu dolorosamente em reais em comparação ao mês passado. Faz parte da vida. Novas quedas parecem bem possíveis por sinal. 


Aporte? Só cinco mil. Serão cada vez menores ou inexistentes. O foco nas próximas décadas será crescer moderadamente via rentabilidade mesmo. 


Criptos continuam seu inferno astral. Novo mês muito ruim. Porém, representam apenas R$ 5.000 do meu prejuízo total no mês de quase R$ 40.000. No ano, em reais, já estou levemente negativo em rentabilidade. Vamos ver o que me espera daqui pra frente. 


No mais, meu consolo é o mesmo do mês passado: "Esse cenário pós-covid tem sido incrivelmente desafiador. No período, vemos, por exemplo, vários fundos e gestores que brilharam na década passada ou mais sofrendo para conseguir rendimento para além do Ibovespa. Fundos como Atmos, Dynamo, Giant, Alaska, IP Participações... Você olha os dados no maisretorno.com e vê todo mundo passando muita dificuldade desde janeiro ou fevereiro de 2020."



Números do mês na renda variável nacional:


"Ibov" subiu 3,22%


Tenho hoje: 422.422 (carteira ações-FII) + R$ 5.867 (caixa de dividendos e vendas ainda não reinvestidos) = R$ 428.289. Baixa de 2,44% em relação ao mês anterior. 


Num mês de alta de 3,2%... Péssimo! Um dos meus piores desempenhos relativos da carteira de Renda Variável nacional desde 2012. Agradeço aos trades toscos que fiz. Vou tentar ver o lado bom: aconteceu felizmente quando estou com bem menos dinheiro alocado em bolsa do que o que costumava ter.


Resto do patrimônio nacional:


Não vou contar o rendimento do dinheiro guardado em renda fixa nacional, pois meu objetivo é avaliar meu crescimento em renda variável. Tenho cerca de R$ 128.916,00 (122.375 + 4.123 + 2.093 + 225 + 100) em renda fixa. 


Total do patrimônio nacional: R$ 557.205. Era para ter caído uns dez mil reais, mas como aportei cinco mil, ficou isso aí. Pouco menos que o mês passado.


Criptoativos:


Tenho hoje R$ 11.620 na "carteira digital". Tornou-se pouco mais de 1% da carteira. Compras de julho de 2017 a janeiro de 2018.


Números do patrimônio internacional:


IBKR: Total de $103.308 o que, convertendo o dólar aos atuais R$ 4,73, daria R$ 488.646. Houve uma valorização total em dólares de 0,66% no mês de maio. Em reais é que a queda foi grande. Mais de 20 mil a menos que o mês passado.






Passfolio: Carteira dez vezes menor e com bem mais renda variável. Total de $9.826,76 o que, convertendo o dólar aos atuais R$ 4,73, daria R$ 46.480. No mês, a queda aqui foi de 1% em algo em dólar. Em reais é que caiu bem uns 6% e algo.




Total do patrimônio internacional? $113.134 ou R$ 535.123

Isso é cerca de R$ 25 mil a menos que mês anterior. Foi uma queda de 4,55%, graças ao câmbio, percebo.



PATRIMÔNIO TOTAL


Juntando patrimônio nacional, internacional e criptoativos, meu poder de compra total em moeda nacional é atualmente cerca de R$ 1.103.948. Bem menos que o mês passado, graças, primeiramente, à desvalorização do dólar e, em segundo plano, a meus trades errados. Total aportado em tudo? Uns 654 mil (poupança, renda fixa, moeda, ações). 


Valorização histórica e comparações:


Segundo a planilha, a valorização histórica da cota de ações e FII é de 150%, o que é muito bom para quase dez anos de investimento. Rendimento líquido um pouco abaixo da minha meta de 4% real ao anoE bem acima dela apenas se eu considerar as operações com criptoativos. Realizei R$ 125.000 de lucros investindo apenas R$ 28.000 e ainda sobrou a carteira atual.


Farei abaixo umas comparações injustas comigo, pois minha rentabilidade já está descontada de impostos, ao contrário das abaixo. Não tenho mais lucros a realizar e sempre desconto da rentabilidade as perdas com impostos já. 


CDI desde minha estreia na bolsa valorizou uns 121,8%. 


IMAB rendeu 174%.


IHFA (uma coletânea de bons fundos) rendeu uns 162%... 


...Um Alaska BDR da vida deu 198%.


IPCA acumulado deu 84,1% até então. 


IGP-M do período? 141%.


Ibov teve valorização acumulada de quase 98,5% até então.


Poupança rendeu uns 71%.


Dólar renderia uns 133%.


Small cap? 73% no período. 


Idiv? 114%. 


IBRX? 134%.


Se eu quisesse me comparar com esses índices de forma exata, teria que levar em conta as distorções das diferenças de aportes no tempo. De qualquer forma, possivelmente estou ok. 


A bolsa "fechou" o mês de maio aos 111.351 pontos. 






A.

6 comentários:

  1. Olá, acho que ainda não conhecia seu blog!

    Também fiquei negativo nas ações aqui, quando vi a bolsa subindo nos últimos dias achei que Maio seria um mês bom, mas no final fiquei negativo.

    1M de reais investidos já é meio caminho andado pra aposentadoria, meus parabéns :)

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Bilionário

      Obrigado. Espero não ficar mais tão longe do Ibov. Com esse patrimônio, que era mais ou menos o que eu queria mesmo, vou ser bem conservador. Até porque os tempos são difíceis.

      Muito bom seu blog. Adicionarei aqui.

      Abs!

      Excluir
  2. Boa tarde TPSM! Os ativos internacionais estão sangrando nossa carteira mesmo...Enquanto essa guerra ocorrer acredito que o mercado global vai continuar caindo ou andar de lado...
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, VVI! Eu nem arrisco dizer se estamos no começo de um novo longo bear market ou se isso tudo é bem passageiro. Creio que estou me preparando psicologicamente para os dois cenários. Tanto que minha aplicação internacional está metade ou mais em renda fixa. E aqui tenho boa parte em BTG Inflação curta e KISU, que são opções conservadoras.

      Só vou voltar a ter grandes parcelas em renda variável se cair significativamente mais do que já caiu.

      Desejo boa sorte! Abs!

      Excluir
  3. Muito bom, A. foco na missão.

    Pra minimizar (psicologicamente) esse lance de efeito do câmbio no patrimônio, comecei a acompanhar tanto em reais como em dólar. Tem me feito bem, rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí rs! O jeito é pensar um pouco assim também e não torcer pra sermos a geração azarada que verá a decadência do dólar frente ao real. Quase impossível imaginar isso. Risco baixíssimo.

      Vou manter a maioria por anos e/ou décadas , aguentando oscilações.

      Ass: A.

      Excluir