quinta-feira, 31 de maio de 2018

Avaliação de Maio 18



Avaliação Final de Maio


O que dizer de um mês em que mais de 35 mil reais evaporam? Percentualmente, creio até que já tive mês pior, mas uma grande queda quando se tem "muito" dinheiro dói mais.

A notícia boa (ou meeira) no meio de tudo isso? Vamos ver o lado bom. 1. Será que tem mais espaço pra cair? Sempre tenho medo de perguntar isso, mas talvez tenha descido tudo que tinha pra descer. Esperança de ser a mínima do ano. 2. Comprei algumas ações no 80k e outro tanto nos 76k. Se vier recuperação, vou me dar bem. Como foi no Joesley Day. 3. Pelo menos caí um pouco menos que o Ibov. O índice vinha me vencendo sempre. Deve ter sido por manter aporte guardado.

Fiz uma mudança no método. Nunca ficava com menos de 20 e poucos mil no TD. Vendi uns 70% e joguei em ações. Por isso que o aporte do mês foi tão alto. Aposta no "pior que tá não fica". Claro que pode ficar, mas acho mais provável uma recuperação. Vamos ver.

Com esse mês, os meus quase seis anos de bolsa continuam muito fraquinhos. Comparável a poupança e perdendo pra Selic.

Se o "sell in may" se referir ao início do mês, mais uma vez ele estava certo.

Continuo sem querer revisar carteira. Odeio mexer na baixa.

Não bastasse a porrada da bolsa, as criptos também desabaram. Mercadinho complicadíssimo em 2018.

Dá vontade de ouvir o povo que jura que comprar lote em cidade pequena e construir moradia pra pequena pra alugar (ou mesmo só o terreno) é o melhor rendimento que existe.

Números do mês:

"Ibov" caiu 10,87%

Tenho hoje - 266.097,58 (carteira) + 256,59 (caixa de dividendos e vendas ainda não reinvestidos) = R$ 266.354,17. Total de R$ 223.125,47 aportado desde que entrei. Significa que estou com 43.228,70 a mais que o total aportado. Mês passado era 69.746,96 a mais que aportei. Dá pra ver que perdi 26.518,79. Baixa de 9,05%. Num mês de baixa de 10,87%... Desempenho "bom"

Após as "criptoquedas", tenho hoje 0,606 BTC (R$ 17.300) e 156,2 Nanos (R$ 2.450), além de R$ 9.300,00 em altcoins da Binance. Total de R$ 29.000 na "carteira digital". Pouco menos de 10% do patrimônio total. Como é algo muito volátil, é uma posição perigosa. Aporte total de 28,5 mil reais aqui.

Não vou contar o rendimento do dinheiro guardado em renda fixa, pois meu objetivo é avaliar meu crescimento em renda variável. Tenho cerca de R$ 13.300,00 em renda fixa.

Meu patrimônio total hoje é cerca de 309 mil reais. Total aportado em tudo? Uns 261 mil (poupanca, renda fixa, moeda, ações). Se eu fosse falar em rentabilidade histórica "não ajustada" de tudo que investi, teria 15,5% nesses quase seis anos. "Ajustada" eu nem tenho como calcular quanto seria. 

A bolsa "fechou" aos 76.754 pontos. Uns 36% a mais do que estava na minha estréia, quase seis anos atrás. Por enquanto, "Ibov" 36%, minha carteira, 19,37%. Ruim resultado já que a inflação acumulada é de 35,9%. E a poupança daria uns 37-42%. Bom... Ao menos já foi extremamente pior. 

Há um porém nessas contas, que percebi certa vez. Vou até postar sobre isso quando tiver mais tempo. A depender da interpretação, a rentabilidade histórica, se ajustada, seria de 47,4% em vez de 19,3%. É que os aportes distorcem a coisa em cenários não-estáveis.  Considero a "rentabilidade ajustada" algo até mais justo para avaliar se estamos investindo bem ou não. Outro dia explico.







A.

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Avaliação de Abril 18



Avaliação Final de Abril


Só achei o mês passado terrível para minhas ações porque não sabia o que viria neste. O pior mês, em deslocamento do Ibov, que já tive. Aliás, o ano está horroroso para minha carteira. A bolsa subindo enquanto minhas duas grandes posições caíam 10% cada. "BBAS" e "EZTC". Assim, só podia mesmo apanhar feio. Tomei quase 5% do índice.

Vai entender. Deixa quieto. Só vou revisar carteira lá pra junho ou julho. Estou bem tendente a aportar nas mais fracas, inclusive. EZTC, por exemplo. Gostaria de só mais uma quedinha em outras. Tenho 20 mil esperando pra gastar em ações.

Enfim, fiquei mais pobre? Não. Porque, inesperadamente, quem apareceu pra me dar algum lucrozinho besta este mês de abril foram minhas algozes dos primeiros meses: as, agora queridas, criptomoedas. A carteira digital deu uma pequena ressuscitada, subindo uns 40% em relação ao mês passado. Com isso, no geral, ainda rendi um pouco acima da poupança, ao menos. Meio tosco, mas podia ser pior. É torcer pra ser uma fase.

De qualquer forma, o ano ainda está bem feio. Aportei 8.000 reais este mês. Deve ser a média dos próximos meses.

Números do mês:

"Ibov" subiu 0,881,75%. (Explico: a segunda parcela é porque mês passado errei na consideração da data de fechamento, logo, neste, tenho que incluir o último dia do mês passado, quando valorizou 1,75%. Dá um total de alta de 2,63% mais ou menos)

Tenho hoje - 246.941,59 (carteira) + 20.305,37 (caixa de dividendos e vendas ainda não reinvestidos) = R$ 267.246,96. Total de R$ 197.500,00 aportado desde que entrei. Significa que estou com 69.746,96 a mais que o total aportado. Mês passado era 75.608,79 a mais que aportei. Dá pra ver que perdi 5.858,83. Baixa de 2,15%. Num mês de alta de 2,63%... Desempenho pífio

Após as grandes "criptoquedas", tenho hoje 0,606 BTC (R$ 19.900) e 156,2 Nanos (R$ 4.400), além de R$ 12.100,00 em altcoins da Binance. Total de R$ 36.400 na "carteira digital". Pouco mais de 10% do patrimônio total. Como é algo muito volátil, é uma posição perigosa. Aporte total de 28,5 mil reais aqui.

Não vou contar o rendimento do dinheiro guardado em renda fixa, pois meu objetivo é avaliar meu crescimento em renda variável. Tenho cerca de R$ 32.400,00 em renda fixa.

Meu patrimônio total hoje é cerca de 336 mil reais. Total aportado em tudo? Uns 242 mil. Se eu fosse falar em rentabilidade histórica "não ajustada" de tudo que investi, teria 38,8% nesses quase seis anos. "Ajustada" eu nem tenho como calcular quanto seria. 

A bolsa "fechou" aos 86.116 pontos. Uns 53% a mais do que estava na minha estréia, quase seis anos atrás. Por enquanto, "Ibov" 53%, minha carteira, 35,3%. Ruim resultado já que a inflação acumulada é de 35,7%. E a poupança daria uns 37-42%. Bom... Ao menos já foi extremamente pior. 

Há um porém nessas contas, que percebi certa vez. Vou até postar sobre isso quando tiver mais tempo. A depender da interpretação, a rentabilidade histórica, se ajustada, seria de 56,5% em vez de 35,3%. É que os aportes distorcem a coisa em cenários não-estáveis.  Considero a "rentabilidade ajustada" algo até mais justo para avaliar se estamos investindo bem ou não. Outro dia explico.







A.

quarta-feira, 28 de março de 2018

Avaliação de Março 18



Avaliação Final de Março


Mês terrível para mim. Tudo pior que o esperado. Minhas ações caíram mais que a queda do "Ibov". As moedas quase todas decresceram... BTC apanhou um pouco e as altcoins apanharam feio. Veio a queda dupla, razoavelmente forte, que eu tanto temia. 

Enfim, o prejuízo foi tão grande que superou bastante o que eu economizei no mês. Estava desacostumado aos decréscimos patrimoniais. 

É aquela velha história... Minha querida renda variável, que tanto vinha me animando, também varia pra baixo obviamente. 

A única coisa que me preocupa mesmo disso tudo é que estou sem tempo pra revisar a carteira pelo menos até maio ou junho, como costumo fazer sempre. Vou continuar os próximos meses com essa "formação" atual. Não é possível que alguns papéis tenham se tornado tão ruins em 2018. Segue o jogo.

Aportei 7.500 reais este mês. Deve ser a média dos próximos meses.

Estou com 10 mil em caixa esperando ver se não rola uma queda maior do "Ibov", mas acho que vou acabar aportando nos 83k mesmo.

Números do mês:

"Ibov" caiu 1,74%

Tenho hoje - 254.316,33 (carteira) + 10.792,46 (caixa de dividendos e vendas ainda não reinvestidos) = R$ 265.108,79. Total de R$ 189.500,00 aportado desde que entrei. Significa que estou com 75.608,79 a mais que o total aportado. Mês passado era 86.242,15 a mais que aportei. Dá pra ver que perdi 10.633,36. Baixa de 3,86%. Num mês de baixa de 1,74%... Desempenho péssimo

Após as grandes "criptoquedas", tenho hoje 0,606 BTC (R$ 16.350) e 156,2 Nanos (R$ 3.350), além de R$ 7.000,00 em altcoins da Binance. Total de R$ 26.700 na "carteira digital". Menos de 10% do patrimônio total. Como é algo muito volátil, é uma posição perigosa. Aporte total de 28,5 mil reais aqui. Pela primeira vez estou no prejuízo.

Não vou contar o rendimento do dinheiro guardado em renda fixa, pois meu objetivo é avaliar meu crescimento em renda variável. Tenho cerca de R$ 34.500,00 em renda fixa, sendo que ainda tenho umas contas pra pagar amanhã.

Meu patrimônio total hoje é cerca de 326 mil reais. Total aportado em tudo? Uns 234 mil. Se eu fosse falar em rentabilidade histórica "não ajustada" de tudo que investi, teria 39,3% nesses cinco anos e meio. "Ajustada" eu nem tenho como calcular quanto seria. 

A bolsa "fechou" aos 83.868 pontos. Uns 49% a mais do que estava na minha estréia, cinco anos e meio atrás. Por enquanto, "Ibov" 49%, minha carteira, 39,9%. Ruim resultado já que a inflação acumulada é de 35,6%. E a poupança daria uns 37-42%. (e o "Ibov" sofreu mais de um ano com a "OGXP3"). Bom... Ao menos já foi extremamente pior. 

Há um porém nessas contas, que percebi certa vez. Vou até postar sobre isso quando tiver mais tempo. A depender da interpretação, a rentabilidade histórica, se ajustada, seria de 58,7% em vez de 39,9%. É que os aportes distorcem a coisa em cenários não-estáveis.  Considero a "rentabilidade ajustada" algo até mais justo para avaliar se estamos investindo bem ou não. Outro dia explico.







A.

quinta-feira, 1 de março de 2018

Avaliação de Fevereiro 18



Avaliação Final de Fevereiro


Ainda devo mais às moedas do que elas a mim, porém, foi mais um mês em que elas me "detonaram". Nenhuma perda terrível, mas nem o lucrozinho na bolsa me salvou dessa vez. Era pra ser "zero-a-zero", foi perda de uns 4 mil no total. 

Sem aportes este mês. Próximo eu retomo normalmente até o fim do ano.

Continuo temendo muito a vinda do primeiro mês de "queda dupla". Um flanco tem que, no mínimo, salvar o outro. 

Números do mês:

"Ibov" subiu 0,52%

Tenho hoje - 265.758,61 (carteira) + 2.483,54 (caixa de dividendos e vendas ainda não reinvestidos) = 268.242,15. Total de R$ 182.000,00 aportado desde que entrei. Significa que estou com 86.242,15 a mais que o total aportado. Mês passado era 85.027,15 a mais que aportei. Dá pra ver que ganhei 1.215,00. Alta de 0,46%. Num mês de alta de 0,52%... Desempenho regular

Após as grandes "criptoquedas", tenho hoje 0,606 BTC (R$ 21.000) e 156,2 Nanos (R$ 7.300), além de R$ 10.500,00 em altcoins da Binance. Total de 38.800 reais na "carteira digital". Uns 13% do patrimônio total. Como é algo muito volátil, é uma posição perigosa. Aporte total de 28,5 mil reais aqui.

Não vou contar o rendimento do dinheiro guardado em renda fixa, pois meu objetivo é avaliar meu crescimento em renda variável. Tenho cerca de R$ 33.000,00 em renda fixa.

Meu patrimônio total hoje é cerca de 340 mil reais. Total aportado em tudo? Uns 226,5 mil. Se eu fosse falar em rentabilidade histórica "não ajustada" de tudo que investi, teria 50,1% nesses cinco anos e meio. "Ajustada" eu nem tenho como calcular quanto seria. 

A bolsa "fechou" aos 85.353 pontos. Uns 51,2% a mais do que estava na minha estréia, cinco anos e meio atrás. Por enquanto, "Ibov" 51,2%, minha carteira, 47,4%. Médio resultado já que a inflação acumulada é de 35,3%. E a poupança daria uns 37-41%. (e o "Ibov" sofreu mais de um ano com a "OGXP3"). Bom... Ao menos já foi extremamente pior. 

Há um porém nessas contas, que percebi certa vez. Vou até postar sobre isso quando tiver mais tempo. A depender da interpretação, a rentabilidade histórica, se ajustada, seria de 62,6% em vez de 47,4%. É que os aportes distorcem a coisa em cenários não-estáveis.  Considero a "rentabilidade ajustada" algo até mais justo para avaliar se estamos investindo bem ou não. Outro dia explico.






A.

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Avaliação de Janeiro 18



Avaliação Final de Janeiro


Mês esquisito. O primeiro mês de queda das cripto, como eu disse temer no mês passado, enfim veio. E doeu. Era pra janeiro ter sido um mês estupendo, mas tudo que consegui foi ficar quase que no zero-a-zero. Na verdade, o patrimônio teve uns 2% de rendimento real, segundo calculei na cabeça. Pouco, mas melhor que nada. Felizmente a bolsa acordou e salvou meu mês. Se fosse depender das moedas...

Temo muito a vinda do primeiro mês de "queda dupla". Um flanco tem que, no mínimo, salvar o outro. 

Vou começar falando da "sessão digital", o que é engraçado, pois quando entrei "nesse mundo" não queria sequer acompanhar cotação do Bitcoin. Era mera aposta de 6 mil reais e pronto. Hoje, cá estou eu com um total aportado de 28,5 mil. Todo o acréscimo vindo neste mês de janeiro. Explico:

Fiz o maior aporte da vida. Simplesmente 22,5 mil reais. Tudo para reforçar minha "carteira digital". Mudei um pouco a estratégia esse ano. Pensei comigo mesmo quanto dinheiro eu poderia perder nessas moedas, sem ficar triste, e cheguei à conclusão de que seria uns 60 mil reais. Logo, reforcei o valor definitivo da "minha carteira". Numa péssima hora, infelizmente. Fiz compras de frações de BTC a 55k (a maioria, 66%) e a 37k. Vamos ver se no longo prazo as coisas melhoram (ou pioram). E pensar que a primeira compra - aqueles 6 mil - foi com BTC a 8,5k reais!

O grosso da grana, ou seja, quase 300k, vai continuar na bolsa. Queria migrar inclusive meus "tesourinho direto" pra bolsa, mas a miserável não quer mais saber de cair. Só sobe. Saudade do Joesley day. Se eu vir uma queda grande, vendo a renda fixa e compro bolsa.

Raiblocks mudou de nome. Agora é Nano. Continuo com minhas 156,2. Por algum motivo maluco isso, aparentemente, fez a cotação disparar. Por uma mudança de nome? Eu não entendo mais nada. O pessoal que fala do poder das irracionalidades do mercado deve estar certo.

Ainda sobre a "carteira digital", troquei várias frações de BTC por umas treze moedas. Hoje estou meio que "50% Btc - 50% altcoins", mas quero deixar 30-70%. Trocarei mais BTC. Porém, não farei mais aportes em moedas durante o ano. Serão todos na bolsa ou em FII, outro flanco que abrirei nos próximos meses se a bolsa continuar subindo loucamente.

Parece que o bullmarket continua forte em 2018. Medo da festa acabar em algum momento. Ainda estou longe dos sonhados 500 mil.

Sobre o Ibov, tomei a maior surra. 3% de diferença, pois o índice tem bem mais banco e siderúrgica que minha carteira. Porem, não vou mexer. E nem vou reclamar muito dos meus 8%.

Números do mês:

"Ibov" subiu 11,14%

Tenho hoje - 264.582,18 (carteira) + 2.444,97 (caixa de dividendos e vendas ainda não reinvestidos) = 267.027,15. Total de R$ 182.000,00 aportado desde que entrei. Significa que estou com 85.027,15 a mais que o total aportado. Mês passado era 64.845,64 a mais que aportei. Dá pra ver que ganhei 20.181,51. Alta de 8,18%. Num mês de alta de 11,14%... Desempenho péssimo

Após as grandes "criptoquedas", tenho hoje 0,608 BTC (R$ 20.100) e 156,2 Nanos (R$ 9.500), além de R$ 14.700,00 em altcoins da Binance. Total de 44.300 reais na "carteira digital". Quase 15% do patrimônio total. Como é algo muito volátil, é uma posição perigosa.

Não vou contar o rendimento do dinheiro guardado em renda fixa, pois meu objetivo é avaliar meu crescimento em renda variável. Tenho cerca de R$ 34.000,00 em renda fixa.

Meu patrimônio total hoje é cerca de 345 mil reais. Total aportado em tudo? Uns 226,5 mil. Se eu fosse falar em rentabilidade histórica "não ajustada" de tudo que investi, teria 52,3% nesses cinco anos e meio. "Ajustada" eu nem tenho como calcular quanto seria. 

A bolsa "fechou" aos 84.913 pontos. Uns 50,7% a mais do que estava na minha estréia, cinco anos e meio atrás. Por enquanto, "Ibov" 50,7%, minha carteira, 46,7%. Médio resultado já que a inflação acumulada é de 35%. E a poupança daria uns 37-41%. (e o "Ibov" sofreu mais de um ano com a "OGXP3"). Bom... Ao menos já foi extremamente pior. 

Há um porém nessas contas, que percebi certa vez. Vou até postar sobre isso quando tiver mais tempo. A depender da interpretação, a rentabilidade histórica, se ajustada, seria de 62,2% em vez de 46,7%. É que os aportes distorcem a coisa em cenários não-estáveis.  Considero a "rentabilidade ajustada" algo até mais justo para avaliar se estamos investindo bem ou não. Outro dia explico.






A.

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Bonde da Raiblocks

Na jogada mais arriscada que já fiz, "troquei" cerca de 0,17 BTC por 156 Raiblocks quando a cotação estava em 16 dólares e alguns centavos. Antes de viajar pro ano novo.

Eis que olho hoje e parece que o valor praticamente já dobrou. Surreal.

Não sei quando vou vender. Estou preparado para as quedas. Hoje em dia, mesmo que eu perdesse todo o dinheiro das BTC, BCH e Raiblocks, não ficaria triste. Logo, segue o baile.

Minha regra para essas moedas é vendê-las (boa parte) apenas se chegarem a atingir cerca de 40% do patrimônio nos próximos meses, o que é improvável. Do jeito que as coisas estão loucas nesse mercado, nem diria que é impossível.

Se recomendo? Recomendo nada, pois é altíssimo, quase absurdo, risco. Se alguém achar que aguenta, vá por própria conta e risco.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Avaliação de Dezembro 17



Avaliação Final de Dezembro


... e de 2017! É verdade. Não posso reclamar do meu crescimento patrimonial deste ano. De dezembro de 2016 até aqui tive praticamente 130% de valorização (de 138 mil para 316 mil reais). Claro que os aportes altos - 85 mil reais no ano - foram responsáveis por quase metade desse crescimento. 

Se eu fosse calcular o crescimento percentual, creio que daria uns 42% no ano. Se todo ano fosse assim...

Em 2018, eu pretendo aportar exatamente 100 mil reais. Acho que consigo. E gostaria (sonho em) obter 80 mil de valorização. Seria, percentualmente, um resultado bem abaixo ao desse ano, mas já estaria ótimo. Ainda assim, creio que é sonhar demais. Tudo isso para praticamente chegar no número mágico de 500 mil reais ao fim de 2018. 

É difícil. Para tanto, tenho que torcer para mais uma subida de cerca de 30% da bolsa em 2018 (num cenário sem perdas para as "moedinhas"). Seria o terceiro ano seguido de "bullmarket". 

... Ou então, num possível cenário estagnado para a bolsa, torcer para mais uma valorização absurda das "moedinhas". Não precisa ser os 500% ou sei lá quanto desses cinco últimos meses. "Meros" 200% no ano já resolvem. 

É querer demais.

Pra que é que serve essa minha torcida e sonho?! Pra nada. Talvez pra me ferrar se eu ficar me iludindo. Logo, vamos ao que importa:

Já perdi as contas de quantos meses seguidos de felicidade financeira venho tendo. Dezembro foi fantástico. Os dois "flancos" colaboraram bem. E isso é raro. As moedas já ocupam mais de 15% do meu total patrimonial. Todo esse crescimento seguido me preocupa, mas está impossível sair. 

Se algum dia eu bater os sonhados 500 mil (ou chegar perto), aí sim vou reduzir bastante a exposição nas "coin". Por enquanto, vamos continuar arriscando.

Assim sendo, o acompanhamento das "moedas" no balanço mensal que faço desde 2012 se mostra imprescindível. Não planejava fazer isso, mas nunca imaginei que aqueles 6 mil de julho virariam uma parte tão significante do meu patrimônio em tão poucos meses.

Quando vier meu primeiro mês de queda, contando-se desde que iniciei o ataque em "dois flancos", vai doer bastante! Que eu continue com a mesma sorte em 2018. Digo "sorte" porque o comportamento das moedas é claramente imprevisível. Bem mais que a bolsa. Quem disser o contrário está mentindo.

Consolidei meus aportes para 7,5k em média e estou estudando a viabilidade de fazer 8k, principalmente a partir de maio. Este mês deu até pra mandar um 8k. Janeiro terá aporte gigantesco. Antecipações. Estou pensando em colocar uma parte numa pequena carteira de altcoins. Talvez usar 6.000 novamente. Veremos.

Mais um mês de altas fantásticas em BTC e BCH. E olha que perdi quase 30% nos últimos dez dias. Ainda assim, o mês está ótimo. Aumentei uns 30%. Minhas "Cash", neste momento, valem 5.800 reais. Minhas "BTC" valem 33.500 reais. Total de 39.300 reais. Eram apenas 6.000 reais no fim de julho, vale lembrar. 

Há cinco meses, quando comprei, 1 BTC valia 8.700. Hoje vale 49.200. 

É torcer pra isso tudo não desabar durante 2018.

Números do mês:

"Ibov" subiu 6,51%Quase 27% no ano.

Tenho hoje - 244.746,18 (carteira) + 2.099,46 (caixa de dividendos e vendas ainda não reinvestidos) = 246.845,64. Total de R$ 182.000,00 aportado desde que entrei. Significa que estou com 64.845,64 a mais que o total aportado. Mês passado era 49.530,12 a mais que aportei. Dá pra ver que ganhei 15.315,52. Alta de 6,61%. Num mês de alta de 6,51%... Desempenho razoável. No ano, bati o "Ibov". A magnitude eu discuto mais embaixo.

Minha "carteira digital", digamos, está valendo, no total, 39.000 reais. Como é algo muito volátil, é uma posição perigosa.

Não vou contar o rendimento do dinheiro guardado em renda fixa, pois meu objetivo é avaliar meu crescimento em renda variável. Tenho cerca de R$ 30.000,00 em renda fixa.

Meu patrimônio total hoje é cerca de 316 mil reais. Total aportado em tudo? Uns 204 mil. Se eu fosse falar em rentabilidade histórica "não ajustada" de tudo que investi, teria 55% nesses cinco anos e meio. "Ajustada" eu nem tenho como calcular quanto seria. 

A bolsa "fechou" aos 76.402 pontos. Uns 35,7% a mais do que estava na minha estréia, cinco anos e meio atrás. Por enquanto, "Ibov" 35,7%, minha carteira, 35,6%. Ruim resultado já que a inflação acumulada é de 35%. E a poupança daria uns 37-40%. (e o "Ibov" sofreu mais de um ano com a "OGXP3"). Bom... Ao menos já foi extremamente pior. 

Há um porém nessas contas, que percebi certa vez. Vou até postar sobre isso quando tiver mais tempo. A depender da interpretação, a rentabilidade histórica, se ajustada, seria de 54% em vez de 35,6%. É que os aportes distorcem a coisa em cenários não-estáveis.  Considero a "rentabilidade ajustada" algo até mais justo para avaliar se estamos investindo bem ou não. Por ela, eu teria feito 33% na bolsa em 2017 e 35% em 2016. Outro dia explico.






A.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Avaliação de Novembro 17



Avaliação Final de Novembro


As moedas digitais eram pra ser algo irrelevante na minha estratégia, mas a verdade é que simplesmente salvaram meu mês em termos de patrimônio. Tinha tudo para ser horroroso. A bolsa teve um mês bem ruinzinho.

Decidi aumentar meus aportes para 7,5k em média. Este mês deu pra aportar 12k, mas é uma grande exceção. Restituição de IR e etc. 

Mais uma alta imprevisível do BTC. Novamente fantástica. Pra aumentar a felicidade, minhas BCH tiveram um avanço ainda maior. Meio que passaram a valer quase 4.000 em vez de 1.000. Eu nem percebi a hora. Escrevo agora vendo a cotação (não era nem pra eu ficar olhando, mas ninguém resiste) de 37.560 reais. Há menos de três meses, quando comprei, 1 BTC valia 8.700. Mais que quadruplicou. 

Certo é que, novamente, as moedinhas garantiram um crescimento bem legal do total patrimonial num mês ruim para a bolsa - depois de tantos bons. Fiquei menos triste.

É torcer pela volta das altas em novembro, mas o cenário está nebuloso. 

Números do mês:

"Ibov" desceu 3,47%.

Tenho hoje - 223.290,72 (carteira) + 239,40 (caixa de dividendos e vendas ainda não reinvestidos) = 223.530,12. Total de R$ 174.000,00 aportado desde que entrei. Significa que estou com 49.530,12 a mais que o total aportado. Mês passado era 57.804,86 a mais que aportei. Dá pra ver que perdi 8.274,74. Baixa de 3,57%. Num mês de baixa de 3,47%... Desempenho ruim. No ano estou na frente do "Ibov" ao menos. 

Minha "carteira digital", digamos, está valendo, no total, 29.000 reais. Como é algo muito volátil, é uma posição perigosa.

Não vou contar o rendimento do dinheiro guardado em renda fixa, pois meu objetivo é avaliar meu crescimento em renda variável. Tenho cerca de R$ 27.000,00 em renda fixa. 

Meu patrimônio total hoje é cerca de 280 mil reais. Hoje entram mais 4 mil na conta. Dá pra considerar 284 mil já. Total aportado em tudo? Uns 196 mil. Se eu fosse falar em rentabilidade histórica de tudo que investi, teria 43% nesses cinco anos e pouco. Ainda perderia pra "Selic", que deu uns 70%. Realmente dependo de uma nova pernada da bolsa. 

A bolsa "fechou" aos 71.733 pontos. Uns 27,4% a mais do que estava na minha estréia, cinco anos e pouco atrás. Por enquanto, "Ibov" 27,4%, minha carteira, 28,47%. Ruim resultado já que a inflação acumulada é de 35%. E a poupança daria uns 37-40%. (e o "Ibov" sofreu mais de um ano com a "OGXP3"). Bom... Ao menos já foi extremamente pior. 

Há um porém nessas contas, que percebi certa vez. Vou até postar sobre isso quando tiver mais tempo. A depender da interpretação, a rentabilidade histórica seria 47,4% em vez de 28%. É que os aportes distorcem a coisa em cenários não-estáveis. Depois explico.







A.

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Avaliação de Outubro 17



Avaliação Final de Outubro


Frustrante ter visto 77-78k e fechar no zero a zero. Culpa daquelas ameaças a que me referi mês passado. Será que a coisa vai azedar? Mantenho a estratégia. Uma hora sobe.

Mais um aporte de 7k. Estou cogitando inclusive aumentar pra 7,5k. As coisas andam melhorando no trabalho. O sonho é chegar nos 500k de total de patrimônio em meados de 2019. É possível.

Falando em patrimônio total, embora o blog tenha como objetivo acompanhar apenas meu investimento em ações, que é uns 85 % do total, não posso deixar de registrar minha felicidade com mais uma alta "maluca" do BTC. Escrevo agora vendo a cotação (não era nem pra eu ficar olhando, mas ninguém resiste) de 22.300 reais. Há menos de três meses, quando comprei, 1 BTC valia 8.700. 

Tomara que a grande queda prometida nunca chegue. É um negócio louco, pois se eu tivesse a coragem de ter aportado, sei lá, metade do patrimônio, teria um lucro absurdo numa possível venda hoje. Porém, sem lamentações, pois sou totalmente contra aportar porcentagens grandes de patrimônio em investimentos de altíssimo risco.

Certo é que as moedinhas garantiram um crescimento bem legal do total patrimonial num mês ruim para a bolsa - depois de tantos bons. Fiquei menos triste.

É torcer pela volta das altas em novembro, mas o cenário está nebuloso. 

Números do mês:

"Ibov" subiu 0,02%.

Tenho hoje - 219.780,12 (carteira) + 24,74 (caixa de dividendos e vendas ainda não reinvestidos) = 219.804,86. Total de R$ 162.000,00 aportado desde que entrei. Significa que estou com 57.804,86 a mais que o total aportado. Mês passado era 59.250,28 a mais que aportei. Dá pra ver que perdi 1.445,42. Baixa de 0,65%. Num mês de alta de 0,02%... Desempenho ruim. No ano estou bem na frente do "Ibov". 

Minhas BTC hoje valem 15.200 reais, mais 1.000 reais das BCC. Como é algo muito volátil, é uma posição perigosa.

Não vou contar o rendimento do dinheiro guardado em renda fixa, pois meu objetivo é avaliar meu crescimento em renda variável. Tenho cerca de R$ 30.000,00 em renda fixa. 

Meu patrimônio total hoje é cerca de 266 mil reais. Porém, não sei quanto os impostos vão comer disso aí (renda fixa e BitCoin, se é que paga...).

A bolsa "fechou" aos 74.308 pontos. Uns 30,7% a mais do que estava na minha estréia, cinco anos e pouco atrás. Por enquanto, "Ibov" 30,7%, minha carteira, 35,68%. Regular resultado já que a inflação acumulada é de 34,6%. E a poupança daria uns 35-40%. (e o "Ibov" sofreu mais de um ano com a "OGXP3"). Bom... Ao menos já foi extremamente pior. 

Há um porém nessas contas, que percebi certa vez. Vou até postar sobre isso quando tiver mais tempo. A depender da interpretação, a rentabilidade histórica seria 51% em vez de 35,6%. É que os aportes distorcem a coisa em cenários não-estáveis. Depois explico.






A.